728 x 90
[lbg_audio8_html5_shoutcast settings_id="1"]

Militares israelenses enviados a RO para combater queimadas chegam na reserva Jacundá

Segundo o Exército, equipe saiu por volta das 8h. Grupo chegou em Porto Velho na última quinta-feira (5).

Os israelenses especialistas em combate ao fogo enviados para Rondônia chegaram na base militar montada dentro da Floresta Nacional Jacundá neste sábado (7), segundo o Exército Brasileiro (EB). A equipe de 11 militares decolou à reserva por volta das 8h.

Conforme o EB, os trabalhos de combate às queimadas na região começaram assim que o grupo chegou. Entretanto, o Exército não detalhou se há focos pela região, mas reiterou que “sempre há riscos”.

Na sexta-feira (6), o mapa de operação do Centro Integrado Multiagência de Coordenação Operacional e Federal (Ciman) mostrava três focos na região da reserva.

Na manhã de sexta, o Exército fez uma reunião com os israelenses para repassar detalhes sobre a situação das queimadas na Jacundá. O encontro foi realizado na sede do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

Para ajudar no combate das chamas, o grupo de Israel trouxe equipamentos de alta tecnologia, como drones e sensores tecnológicos. Há ainda um aplicativo desenvolvido para o trabalho.

Ao todo, em agosto, os municípios de Porto Velho e Candeias do Jamari (onde está a UC) tiveram, respectivamente, 2.021 e 588 alertas de queimadas no BDQueimadas (satélite de referência, Aqua). Até este sábado (7), Porto Velho registrou 114 focos e outros 15 também foram identificados em Candeias do Jamari, segundo o Inpe.

No fim de agosto, o Exército divulgou imagens das Forças Armadas tentando controlar os incêndio na reserva Jacundá. Na ocasião, Prevfogo, Força Nacional, soldados do EB e bombeiros foram enviados à reserva para combater os focos de incêndio.

Reserva Jacundá

Criada em 2004, a Flona Jacundá está localizada ao norte do estado de Rondônia e tem uma área de 220.644 hectares. A unidade de conservação está localizada entre os municípios de Porto Velho e Candeias do Jamari.

Segundo o Ministério da Agricultura, o Plano Anual de Outorga Florestal 2009 autorizou a concessão de 112 mil hectares da Jacundá para o manejo florestal.

Trabalho de combate

A Operação das Forças Armadas em Rondônia tem o objetivo de cumprir a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) no dia 23 de agosto.

Em Rondônia, o Exército está oficialmente à frente da Operação Brasil Verde desde 24 de agosto. Segundo o general Luciano Batista de Lima, o maior obstáculo encontrado na ação é a dimensão da Amazônia.

Conforme o EB, oito pessoas foram presas na primeira semana de ação contra os incêndios no estado. Entre as apreensões divulgadas pelo Exército constam: cinco motocicletas, 41 m³ de madeira, um caminhão, uma motosserra, uma espingarda e quatro cartuchos não deflagrados. A estimativa é que R$ 994.775,00 em multas foram aplicadas no período.

O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) instaurou um procedimento no dia 28 de agosto para acompanhar as ações de políticas públicas voltadas ao combate das queimadas urbanas e rurais em Porto Velho.

Ao longo de 13 dias da operação Verde Brasil, segundo o Exército, mais de R$ 4,5 milhões de multas por desmatamento foram aplicadas pelos órgãos fiscalizadores que atuam na operação.

Dos aviões Hércules C30 enviados a Rondônia pela Força Aérea Brasileira, o único que ainda estava em Rondônia retornou ao Rio de Janeiro (RJ) nesta semana.

Somente pela 17ª brigada, 1.050 militares do Exército atuam na operação. Conforme o general Luciano Batista de Lima, juntando com equipes da Força Aérea Brasileira, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar Ambiental, da Polícia Militar, do Ibama, do ICMbio e a Força Nacional, o Exército estima que há 1.202 combatentes, entre homens, mulheres, militares e civis.

Fonte: G1.Globo

banner plan materia

Comentarios

os comentaio sao de sua problia responsabilidade *

Novidades