728 x 90
[lbg_audio8_html5_shoutcast settings_id="1"]

Nova dona da Ceron vai priorizar combate ao furto de energia e investirá R$ 470 milhões no Estado

Em dois encontros nesta quinta-feira, o representante do grupo Energisa, André Theobald, apresentou detalhes a jornalistas, de como a empresa, que assumiu o controle da Ceron (Eletrobras Rondônia), vai operar no Estado. Uma das prioridades será o combate ao furto de energia. Theobald assume a presidência da ex-estatal.

Com a aquisição da concessionária de Rondônia, o total de cidades atendidas pela Energisa passa de 788 para 862 municípios. Ao todo, são mais de 20 milhões de pessoas usando o serviço do grupo e aproximadamente 16 mil empregos gerados, incluindo colaboradores próprios e terceirizados.

O presidente enfatizou que o furto de energia em Rondônia chega 27%. A meta para 2019 é atuar forte no Estado e tentar reduzir esse número para 8%. “Essa será uma de nossas prioridades porque sabemos que o furto de energia é um problema de segurança a vida e o furto é uma coisa que todos os consumidores pagam no final. Nós vamos trabalhar com transparência para levar um serviço de qualidade para a população e vamos cobrar devidamente o consumo de cada consumidor”, disse o presidente.

Para 2019, o grupo Energisa pretende investir em Rondônia aproximadamente R$ 470 milhões e parte será no combate ao furto de energia, na compra de novos carros, investir em melhores ferramentas de trabalho e treinamento de funcionários.

Sobre a composição do quadro de servidores ativos da Eletrobrás, o presidente garantiu que todos foram contratados no quadro de funcionário da Energisa. “Nós vamos dar uma oportunidade para todos os servidores ativos da Eletrobrás para depois fazer qualquer tipo de movimento no quadro. Esperamos que consigam cumprir seus trabalhos, mas quem não conseguir, não terá como manter no quadro de funcionários. A demissão é uma coisa muito natural nas empresas privadas e depende exclusivamente da avaliação e desempenho do próprio funcionário”, diz.

Expansão

O grupo Energisa pretende expandir a rede de manutenção principalmente nas áreas isoladas do Estado. “Dentro desses R$ 470 milhões que iremos investir nós queremos a gente quer expandir para aquelas áreas isoladas pelas usinas térmicas que queremos conectar nossa rede. Essa é uma de nossas prioridades e iremos fazer um cronograma para esse trabalho, mas só estará pronto em fevereiro do ano que vem porque agora estamos na fase de diagnostico, planejamento, aprovação no conselho de administração”, informou.

Nos lugares aonde são registradas constantes queda de energia, principalmente nas regiões onde são abastecidas por mini termoelétricas que eram operadas pela Eletrobras, o presidente disse que a atuação da Energisa vai ser através de critério técnico e os serviços começarão nas piores regiões. “Quem vai dizer o direcionamento disso serão os critérios técnicos e a nossa previsão é de que esteja pronto em fevereiro para em seguida ser encaminhado para o conselho e se for aprovado, nós já começamos os trabalhos”, finalizou.

Nova dona da Ceron vai priorizar combate ao furto de energia e investirá R$ 470 milhões no Estado

Comentarios

os comentaio sao de sua problia responsabilidade *

Novidades